Thursday, March 8, 2007

Mulheres e mitos

Os anos cinquenta trouxeram uma época de desenvolvimento com melhores condições de vida e princípios consumistas.A televisão começou a entrar nas casas de cada um trazendo uma outra visão do mundo, permitindo assistir em directo a acontecimentos como o casamento de Grace Kelly, no Mónaco ou à coroação de Isabel II de Inglaterra. As mulheres casavam cedo e tinham filhos e de acordo com os princípios tradicionalistas , deviam manter aspecto cuidado e ser simultaneamente boas donas de casa , esposas e mães. Para as ajudar nessas tarefas difíceis, surgem os aspiradores e as máquinas de lavar roupa. O vestuário era feminino com saias muito rodadas e compridas , a cintura fina, luvas e sapatos de salto.
Em 1960, Mary Quant vem revolucionar estas estruturas , introduzindo a mini-saia e lançando a célebre Twiggy, mulher extremamente magra , de cabelos curtos e olhos pintados com rimmel a redesenhar os próprios cílios. O estilo unisexo ganha força com a generalização dos jeans e as mulheres começam a usar modelos masculinos.
No final dos anos sessenta, S.Francisco (USA) torna-se o berço do movimento hippie que advogava o poder das flores , o make love not war , assim com a libertação da mulher. Faziam parte desse novo comportamento, cabelos longos, roupas coloridas, misticismo oriental, música e drogas. Mas é com a crise estudantil de 1968, que se deitam por terra muitos padrões e atitudes , através do movimento estudantil que explodiu em diversos países, contestando a sociedade, os sistemas de ensino e cultura, os costumes, a sexualidade e a moral vigente.
É nesta época que surge a pílula, dando maior liberdade sexual às mulheres embora elas lutassem antes de mais, pela igualdade de direitos, de salário, de independência. Como símbolo da emancipação feminina , os soutiens foram queimados na praça pública, em diversos países incluindo Portugal.
Os anos sessenta terminam com a chegada do homem à Lua em Julho de 1969 e com a realização em Agosto do Festival de Woodstock, que reuniu cerca de 500mil pessoas , durante três dias de musica e muito amor…
Foram períodos determinantes para a emancipação feminina e para a revolução das mentalidades. Não creio que decorridos mais de quarenta anos tenha havido alterações de comportamento tão significativas como nesta época e interrogo-me
se a posição que conquistaram nas últimas décadas não se está a deteriorar, a perder gradualmente quando hoje as mulheres atingem níveis elevados de formação, com acesso a lugares de chefia e investigação, muitas delas não casadas , adiando os filhos para maternidades tardias, independentes economicamente, mas dependentes por outro lado de anti-depressivos e ansioliticos, agarradas a pais que desde cedo as endeusaram num pedestal com pés de barro…
Neste Dia da Mulher, faço votos para que a minha filha,( que só por acaso não nasceu neste dia 8 de Março), tenha o discernimento suficiente para não entrar nestes estereótipos. E que as vossas meninas também não sejam afectadas pelo mesmo síndrome!

27 comments:

amigona said...

De qualquer modo deixa que, HOJE, fique, aqui, um beijo especial para ti...

Meg said...

Esta breve resenha da dos áltimos 50 anos, que é a minha geração, é verdadeira. Foi talvez a geração que mais mudanças enfrentou, tanto nos conceitos de vida, papel da mulher na sociedade, educação e outros.
Educadas com os objectivos que referes, as mulheres tinham, à partida, um papel perfeitamente definido...
Difícil foi transformar essa rigidez formal e tradicional, e adequá-la aos novos tempos, sem cair no outro extremo, o que aconteceu, muitas vezes, no deslumbramento das mudanças.
Hoje,a sociedade é feroz e devoradora, importa mais o TER que o SER. E para Ter sacrifica-se demais - é a minha opinião - a queda da natalidade e a maternidade tardia, são talvez o preço mais importante... Vamos ter, cada vez mais, filhos de avós...
MULHERES, não se esqueçam de ser felizes!
Para ti, um beijo

Cusco said...

Olá! Obrigado pela visita e pelo comentário na minha casota.
É verdade o GABO é o meu escritor favorito. Já li a sua obra, toda, todinha. E então os Cem Anos estão na minha mesa-de-cabeceira e vão lá ficar durante os proximos Cem anos..
Um abraço e até breve
SE DEUS QUISER

greentea said...

amigona

um dia também muito especial para ti !!

beijos

greentea said...

Hoje , aqui e agora, importa mais o TER que o SER , sim.

e infelizmente, muitas borboletas deixaram de voar, cortaram-lhes as asas e muitas mulheres arrastam-se no casul da superprotecçao e da dependencia ,
um beijo para ti , meg

greentea said...

cusco

obrigada pela visita .
Não me parece que sejas assim tão dependente...loas de homem ...

sorrisos e abraços!

bettips said...

TU, tu serias capaz de escrever uma dissertação sobre mulher, como quem reza... tu... Lembrei muitas vezes este dia a pessoas que se esqueciam. Para isso, ele servia como panfleto revolucionário. Hoje tenho esperança, mas não me apetece saudar ninguém em especial: as duas grandes mulheres que conheci (uma avó e uma amiga) já não existem. Haverá muitas outras mas eu só me lembro das da guerra, que não lêem isto: no Iraque, em Africa ...todas as sem voz. Por isso, o Beijo surgiu em contraponto, na madrugada do dia...
(troca as palavras: roçar o espírito, arrepiar o corpo...são coisas minhas!). Mas abraços a ti e a quem passa, feminina e forte. Aos homens, só aqueles que venerem a mulher. Esta é a minha comemoração Hoje. Bjinhos

greentea said...

bettips
" arrepiar " ...não tinha sentido assim, mas arrepia e não esqueço, não podemos esquecer as mulheres que ainda hoje voltaram a usar a burka, as mutiladas genitais em à frica, as que passam fome e não têm que dar de comer aos filhos, as que passam e tentam sobreviver de outras tantas guerras...
Não destaco ninguém : as Avós, a Mãe, a Amiga já morreram todas. Está a Filha.

jpg said...

Muito interessante recolha sobre as mulheres nos 50s e 60s.

Publiquei há tempos artgos de teor semelhante no meu antigo "Quentes e Belas".

Não te tenho encontrado e só hoje tive tempo disponível para uma ronda geral por casa de amigos.

Saudações.
JPG - O Sino da Aldeia & outros

isabel said...

e pensar que há cento e tal anos mulheres foram queimadas por lutarem por um horário de trabalho de 10horas...contra as 18h que tinham...

beijo especial neste dia

david santos said...

dIA FELIZ mulher!

sa.ra said...

Vim dar-te um beijo muito grande mulher bonita!

Tem um dia muito feliz!

pitanga said...

Querida Greentea, penso em que qualquer época será uma tarefa difícil ser mulher. Há sempre uma espectativa do infalível, do perfeito, do "isso não pode" ou "não fica bem". Mas mesmo assim conseguimos dar a volta e nos fazermos belas e felizes na medida do possível.
A minha Maryl Streep está lá.

beijos hoje e sempre.

Teresa Calcao said...

Que tenhas um bom dia,Greentea...
Beijinho

Era uma vez um Girassol said...

Vim deixar-te um beijinho pelas flores que plantaste para todas nós!!!!
Interessante este resumo das várias décadas, em que a mulher se foi libertando de preconceitos, atingindo os lugares e o comportamento dos homens!
A sociedade é que está doente...
e as mulheres deixam-se ir no turbilhão.
Parabéns e beijinhos

Ana Patudos said...

Estive com as Mulheres da minha terra, queres ir espreitar?
bjto
Ana Paula

greentea said...

jpg

fui -te visitar, sim

andas tão ocupado a remodelar o blog que nem deste conta....

beijinhos, por esta

greentea said...

isabel

e pensar que ainda hoje há mulheres que são vendidas, violadas, mutiladas, mortas à pedrada nalguns paises , por supostos crimes...

um beijo para ti - não te tenho visto por ai.

greentea said...

obrigada , david, tem uma boa noite

greentea said...

sa.ra

tu também, Mulher
que a Primavera chegue depressa para ti, q as andorinhas já aí andam...

Um beijo grande

greentea said...

pitanga

sempre dei a volta por cima aos "não pode ser" e aos "parece mal" ou "uma menina não faz isso"
sempre fui a formiga do carreiro que ia em sentido contrario ou pelo menos não ia atrás das outras formigas...
Meryl deliciou-me em vários filmes. Africa Minha viu "centenas" de vezes cada hora em q me dava a nostalgia de Africa , até a cassette se estragar. Constato agora, "alguém" cá em casa se podia ter lembrado de me oferecer o DVD hoje...
É nestes pequenos pormenores que os homens falham, têm sempre tantos afazeres, coitados ...e depois temos de compreender que o ar condicionado das grandes lojas lhes faz mal e que teriam chegado atrazados para o jantar etc etc etc

Olha, esquece ...beijinhos e aproveita o dia (ou a noite)!

greentea said...

teresa.
para ti também, que o meu não foi mau de todo, até agora...
sorrisos e beijinhos

greentea said...

girassol

plantei-os com muito gosto e com vários tons, não apenas os amarelos


beijos para ti que tb já atravessáste umas quantas décadas e tens acompanhado o evoluir dos acontecimentos...

greentea said...

ana patudos

já fui espreitar e achei óptima ideia..
Beijos para ti

Fernanda said...

Boa noite
Que o amanhecer... seja repleto de AMOR!

Um abraço

Freyja said...

la mujer en cada momento ha ido marcando en la historia que esta siempre presente en todo
su esencia ha ido dejando vida y la vida hoy la envuelve dandole cada dia mas espacio en la sociedad, derechos y respeto
un gran dia hoy dejando haciendo homenaje a la mujer que va por la vida entregando amor siempre

FELIZ DIA DE LA MUJER

que tu esencia siga entregando sabiduria
besitos y cuidate



besos y sueños

LUA DE LOBOS said...

que te aconteceu que não deste sinal de vida? nem MSN nem tlm....
xi
maria
aparece no meu blog :)