Tuesday, July 10, 2007

Praia da Aguda

A praia pequena, formando uma bahia pequenissima, excluida do mundo por dois promontorios em miniatura era, naquellas férias de trez dias, o meu retiro de mim mesmo. Descia-se para a praia por uma escada tosca, que começava, em cima, em escada de madeeira, e a meio se tornava em recorte de degraus de rocha , com corrimão de ferro ferrugento. E, sempre que eu descia a escada velha, e sobretudo da pedra aos pés para baixo, sahia da minha própria existencia, encontrando-me.

Então, na praia rumorosa, só das ondas próprias ou do vento que passava alto, entregava-me a uma nova especie de sonhos - coisas informes e suaves, maravilhas de impressão profunda, sem imagens, sem emoções, limpas como o céu e as águas... tremulamente de um azul obliquo ao longe, esverdeando na chegada com transparencias de outros tons verde-sujos...congregando em si todas as ressacas, os regressos à liberdade da origem, as saudades divinas, as memorias...
Bernardo Soares - O Livro do Desassossego (1931?)
Podia ser na Praia da Aguda, entre Magoito e as Azenhas do Mar, embora poucos se aventurem a descer por aquela escada tosca, de chão lamacento onde brotam as nascentes e onde é possível encontrar avencas, que crescem espontaneamente.
Tal como os sonhos !

6 comments:

Pandora said...

Linda não é?
Passei lá belos dias de tranquilidade, longe dos mares de gente das outras praias ali tão ao lado.
Beijos.

melga meiguinha said...

Penso que já lá estive com a família.
É linda mesmo.
E a praia faz-me sonhar, coisa que não consigo noutros lados.

Beijocas.

Morgenita said...

hum... a Praia Pequena...ensandwichada entre a Praia Grande e a das Maçãs... Penso que já nem deve existir, mas passei lá os Verões da minha infância.
Era um paraiso e uma aventura porque tinhamos de voltar antes da maré encher, caso contrário, deixava de haver passagem!
Nunca vou esquecer o dia em que passou um grupo de golfinhos, muito, muito ao fundo e que fizeram de mim a menina mais feliz do mundo todo...Nem acredito os anos que já passaram desde aí...

Rodolfo N said...

Que belleza!
Para soñar.
Beijos

sorrisos da minha alma said...

Não está como eu queria... mas prometo que vou beber agora um copo de leite, apagar os olhos que me ardem... e dormir pelo menos em paz... Beijo e obrigado

bettips said...

Não resisto a comentar aqui, mais atrás. Neste bocadinho de sonho que mostras pelos teus olhos. Conheci-a ano passado, tem um verso encantador, em azulejo, no muro. E toda ela é distância, pura, planar almas... Um beijinho, tinha saudades de me sentar aqui, com chá e conselhos.