Monday, April 26, 2010

Casa comigo Marta

Casa comigo Marta , que eu obrigo-te a casar !
Casar contigo? Não maganão...deixa-me da mão...

Bailavam-lhe na cabeça as palavras do Zé Mário numa canção que continua actualissima. Essa e todas as outras que ele entoou, os poemas que leu, as palavras que disse no Concerto de ontem, no Teatro Municipal da Guarda onde talvez não se esperasse a sala cheia.

De manhã, preparou as coisas, despediu-se com "Um brilhozinho nos olhos" e galgou os trezentos e tal kms até Lisboa,onde outros compromissos a esperavam, tipo ir pôr o computador a actualizar programas que a inovação assim o exige, para começar e depois o habitual do seu dia-a-dia.

Era ainda cedo e foi comer qualquer coisa , que o calor e o cansaço da viagem tiraram-lhe o apetite. Sentou-se para saborear a sandes e o sumo natural. Em seguida, entrou um casal com pronúncia do Norte. Ela leu todos os menús, todas as sandes, tudo o que havia para ler, que ele nem se dava ao trabalho de o fazer.

Então, é a sandes de carne assada que queres ? -insistia ela .Ele grunhiu qualquer coisa.

E sentou-se à mesa, à espera que a mulher pedisse , pagasse e trouxésse os tabuleiros para a mesa, talvez até que partisse o pãozinho para ele não se engasgar...

Levantou-se e saiu, que não há pachorra para estas cenas. Deu graças pelo companheiro que tem, que soube evoluir com os tempos, que a ajuda em quaiquer circunstâncias, que ainda de manhã lhe dissera para se despachar que ele arrumava a loiça da máquina, que regava as flores , trataria dos gatos da rua e do cão vadio, etc . etc.

Casar contigo ? Não maganão ...


7 comments:

Pitanga Doce said...

Ó carago mas tinha de ser do Norte, o casal? É que gente assim há por toda a parte e até aqui. Há os que fazem cenas destas e os que não fazem cena nenhuma. Sentam-se frente ao outro e não sai dali uma palavra. É horrível de se ver! E aí eu pergunto: levar isso adiante pra que?

boa noite, menina dos amores-perfeitos.

greentea said...

pitanga
eram do Norte tipo zona baixa do Porto. Claro que mentalidades tacanhas as há por todo o lado, mas quando estou em Lisboa aquela pronuncia sobressai, como alguns sotaques ma Guarda tb me incomodam pelos sses...se calhar eles dixem q eu é que falo mal. SSabexe lá!!
Vou esperar q os amores cresçam , as ervilhas de cheiro e o jasmim. Gosto imenso de jasmim

Pitanga Doce said...

Ó mulher, quem me dera ouvir esses SSSSSSSSSSSSSSS todosSSSSSSSSSSSSSSSSS. hehehehe

greentea said...

hoje de manhã lembrei-me de ti : numa sala de espera , tinha na minha frente uma brasileira toda vaporosa de unha vermelha e olhos doces , perna longa que passava ostencivamente por cima da perna do garçon ao seu lado . De vez em quando , além da perna passava-lhe a mão por cima do cabelo...
e eu sorria , enquanto esperava a minha vez de ser chamada.

as-nunes said...

greentea

É o que faz ser-se observadora. estar-se atento ao que nos rodeia. E ainda bem que alguns de nós somos assim.
Porque andar no mundo à deriva, sem se interessar pelo dito supérfluo, pensar só em formas de ganhar muito dinheiro para desbaratar com futilidades não é caminho. Digo eu!

Bjo
António

greentea said...

antónio
de fecto sou muito observadora e raramente me escapam estes pormenores, além de q desde sempre uso lentes de correcção por ter hipermetropia (ie, vejo bem demais)
eheheh

Pitanga Doce said...

Ó mulher tu nem me digas isso! Temos a mania de passar a mão nos cabelos dos namorados.

E tu sorrias porque? Já sei. Pelo andar da carruagem já imaginas como tinha sido a noite dos dois. hehehe

Ai que o amor é lindo!