Wednesday, June 11, 2008

Morangos doces


Chegámos depois de três horas de viagem sem atropelos nem transito demasiado. Parámos o carro no Areal, as casas dos irmãos fazendo um triangulo equilátero. Soltei o cão e fui directa à casa dela. Dei a volta à chave , que está sempre na porta e perguntei se podia entrar quando já lá estava dentro .

Apareceu com um enorme sorriso : Ah! que surpresa boa , não sabia que vinham !!!

Abraçou-me como se não me visse há anos (estive lá o mês passado )

e logo de seguida acrescentou -

Vinde comer , que são horas de almoço...

É uma doçura a minha cunhada, sempre pronta a ajudar, a preparar uma sopa ou a fazer uns biscoitos que coze no forno de lenha, ou a cortar um caldo verde para trazermos...

E ainda foi apanhar morangos , tantos morangos que ela própria plantou .


Nem sempre as cunhadas ou as irmãs têm estas atitudes. Mas esta merece bem o nome bíblico que lhe deram, por acaso o mesmo que a minha mãe usava, o mesmo que a minha filha tem : quatro letrinhas apenas intervaladas por um a em cada sílaba. Adivinhem lá ...

3 comments:

Justine said...

Reconcilia-nos com a vida, o encontro de pessoas generosas como a que tão bem descreves.
E os morangos belos e doces, representam-na bem!
Sara?

Pitanga Doce said...

Ai nem me fales em morangos colhidos na hora. E para minha sorte também tenho uma cunhada-irmã. Chama-se Graça.
Ah, as coisas do campo!!!

Olha hoje há festa e conto contigo.

leonor costa said...

SARA! Adivinhei?