Thursday, April 24, 2008

A Cantiga é uma Arma ...


A rose ofereceu-me este mimo:
Dizer 6 coisas que não se importem de fazer ou de ter.Colocar o link da pessoa que o "mimou".Colocar as regras no blog.Mimar 6 pessoas para fazerem o mesmo.
Avisar as pessoas, deixando um comentário nos seus blogs
Aquilo que eu gosto ou é uma referência que não quero perder nunca mais :
1. O que é preciso é avisar a malta
2 . A cantiga é uma arma
3 . Liberdade, liberdade quem a tem chama-lhe sua
4 .Vem amigo vem...traz outro amigo também
5. Quis saber quem sou
O que faço aqui
Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.
6. Dorme meu menino a estrela d'alva
Já a procurei e não a vi
Se ela não vier de madrugada
Outra que eu souber será p'ra ti
Numa qualquer manhã de há trinta anos atrás o tal do Green que era meu colega de escola e morava do outro lado da rua, telefonou-me às sete da manhã, mal me tinha levantado: Não saias de casa que houve uma Revolução esta noite, liga o Rádio , a TV... Fiquei sem comentários e se os tinha calei-os que naquela época não se podia falar. Mais tarde , ligou a mãe da C a dizer para ir ao supermercado que ia fechar tudo e fui ali à rua comprar umas coisitas e depois deixou de haver telefones e chamadas. Não fui trabalhar, ninguém foi, e durante a manhã fiquei por casa.
O Green apareceu e almoçámos qualquer coisa em alvoroço. E dissémos BASTA e saímos para a rua, para a Baixa, para o Largo do Carmo, vimos os soldades , os carros de combate , o Marcelo , os Pides a fugir da António Maria Cardoso, os tiros a ecoarem pela Rua do Carmo...
E nunca mais vou esquecer!
Tal como não esqueço a Censura, as perseguições, a falta de Liberdade. a opressão, a policia de choque à porta das escolas, o gás lacrimógeo, os espancamentos e a tortura...
A Cantiga é uma arma... As flores também !

15 comments:

125_azul said...

E o sorriso também...
beijinhos

Liliana said...

Olá.

Ainda bem que viu o filme, sabia que ía gostar.
Um bom fim de semana.
Bjs

pedro macieira said...
This comment has been removed by the author.
pedro macieira said...

Zeca Afonso, Adriano, Sérgio Godinho,José Mário Branco, José jorge letria e tantos outros provaram bem que a "cantiga é uma arma".
Um abraço

Pitanga Doce said...

TANTO MAR (CHICO BUARQUE)

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
E inda guardo, renitente
Um velho cravo para mim

Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Nalgum canto do jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar

Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim


beijos de Pitanga Doce Portuguesa!

Dama do Lago said...

Olá :)! Vim agradecer a visita ao meu Jardim e dar uma vista de ohos nos teus blogs. Gostei bastante dos assuntos que abordas! No Abril de 74 eu ainda estava em "fase de produção", portanto não vivi nada do antigo regime nem sei o que foi o furor depois da Revolução. No entanto tenho noção que ainda está tudo muito próximo, parece que as paredes e as ruas da cidade ainda não acabaram de emitir o eco dos gritos, dos tiros e das mentalidades... Tenho a sensação que as pessoas da minha idade (e as mais novas) nunca vão conhecer, de facto, as gerações precedentes se não tiverem um vislumbre do que foi o tempo do Salazar, a vida numa caixa, a sombra e as aparências que impregnavam tudo.

Rose said...

Querida, fique á vontade com o que achar de interessante em meu caminho, a casa é sua e de todos que por lá passam.
Seu espaço é simplismente "aconchegante.

amigona avó e a neta princesa said...

Hoje não podia deixar de te dar um abraço de Abril! Lindo o teu texto...beijos querida...viva Abril!

o das caldas said...

As cantigas foram armas preciosas inolvidalmente!
Bfs.
2 beijinhos

o das caldas said...

As cantigas foram armas preciosas inolvidalmente!
Bfs.
2 beijinhos

Sophiamar said...

Deixo-te um cravo de Abril com aroma de liberdade.
Beijinhossss

wicky said...

estou longe da vista mas perto do coração e ontem à noite tive oportunidade de ver ouvir e cantar as Cantigas de outros Maios, não na voz dos interpretes originasis, alguns já desaparecidos com Zé Afonso ou Adriano, mas afinal tão VIVOS , tão presentes naquele espectáculo...

Espaço do João said...

Mais vale tarde do que nunca.
25 de ABRIL sempre. LISBOA ainda dormia já eu sabia o que se estava a passar. Graças à R.S.A. (Rádio Sout Africa) transmitia em ondas ultra curtas, o que a maior parte de Portugal já esperava desde o golpe das Caldas. O povo está muito esquecido, não se lembra também desse momento. Se bem me Lembro, citando Vitorino Nemésio.

Dumuro said...
This comment has been removed by a blog administrator.
greentea said...

joáo

as pessoas têm a memória curta , muito curta ...já se esqueceram do que se passava na época...

eu também sabia muita coisa por outros jornais doutros paises, sempre tive a mania da leitura e lia o Le Monde e o The Guardian já na época pois tinha acesso no local onde trabalhava
Um abraço