Wednesday, April 25, 2012

Rita Levi e a reforma

ENTREVISTA


- Como vai celebrar seus 100 anos?

- Ah, não sei se viverei até lá, e, além disso, não gosto de celebrações. No que eu estou interessada e gosto é do que faço cada dia.!

- E o que você faz?

- Trabalho para dar uma bolsa de estudos para as meninas africanas para que estudem e prosperem ..Elas e seus paises. E continuo investigando, continuo pensando.

- Não vai se aposentar?

- Jamais! Aposentar-se é destruir cérebros! Muita gente se aposenta e se abandona... E isso mata seu cérebro. E adoece.

- E como está seu cérebro?

- Igual a quando eu tinha 20 anos! Não noto diferença em ilusões nem em capacidade. Amanhã vôo para um congresso médico.

- Mas terá algum limite genético ?

- Não. Meu cérebro vai ter um século..., mas não conhece a senilidade..O corpo se enruga, não posso evitar, mas não o cérebro!

- Como você faz isso?

- Possuímos grande plasticidade neural: ainda quando morrem neurônios, os que restam se reorganizam para manter as mesmas funções, mas para isso é conveniente estimulá-los!

- Ajude-me a fazê-lo.

- Mantenha seu cérebro com ilusões, ativo, faça ele trabalhar e ele nunca se degenera .

- E viverei mais anos?

- Viverá melhor os anos que vive, é isso o interessante. A chave é


manter curiosidades, empenho, ter paixões....

- A sua foi a investigação cientifica?

- Sim e segue sendo.

- Descobriu como crescem e se renovam as células do sistema nervoso...

- Sim, em 1942 : dei o nome de Nerve Growth Factor (NGF, fator do crescimento ner-

voso), e durante quase meio século houve dúvidas, até que foi reconhecida sua validade, e em 1986, me deram o prêmio por isso.

Rita Levi Montalcini!
Prêmio Nobel de Medicina.
Que possa nos servir de inspiração.

Rita Levi Montalcini , nasceu em Turín, Itália em 1909 e obteve o titulo de Medicina na especialidade de Neurocirurgia. Por causa de sua ascendência judia  viu-se obrigada a deixar a Itália, um pouco antes do começo da II Guerra Mundial.




Rita Levi-Montalcini (Nobel da Medicina em 86) já ultrapassou os 100 anos de idade mas continua de corpo e alma na ciência. Um dos seus textos foi lido e acompanhado por jazz , na Corunha.




2 comments:

© Piedade Araújo Sol said...

obrigada por este post!

fez-me sentir tão pequenina.

grande mulher essa!

um beij

mfc said...

Vale a pena acreditar...
Sim, vale a pena!