Thursday, January 28, 2010

biodiversidade ... todos os dias


A Terra, nossa Mãe-Natureza e seus quatro elementos vitais, estão feridos. O ar, a água, o solo estão duramente contaminados. O reino vegetal, animal e mineral estão também sofrendo devastações constantes e por vezes irreversíveis. O ser humano, em sua grande maioria, vive em condições precárias, lutando pela sobrevivência, mesmo vivendo nos países mais ricos, ficando impedido de viver com dignidade sua passagem aqui no Planeta azul, mesmo que riquezas imensas, muito além de nossa capacidade de compreensão, trancadas em mãos egoístas e impiedosas, permitissem, e com folga, resolver quaisquer problemas que assolem nosso orbe. Reagindo a tamanho drama, a Natureza se manifesta cada vez mais e com absoluta clareza (para quem sabe ver e ouvir), deixando evidente a todos o quanto ela é poderosa e, ao mesmo tempo, paciente, tolerante com os desmandos de tantos seres aloprados e brutos que ignoram quase tudo sobre a verdade da vida, de tão obcecados que são pelo poder e o lucro a qualquer custo. É preciso que façamos nossa parte.Talvez o começo signifique aprender a cobrar fatos e ações decentes de "nossos" vereadores, prefeitos, deputados, senadores, ministros. O voto bem utilizado é outra ferramenta fundamental.
Somos nós que continuamos a eleger pessoas que somente visam o enriquecimento pessoal. Precisamos deixar de comprar produtos e serviços supérfluos, ou danosos à saúde física, que nos criam dependência e embotam nossa consciência, eliminando de vez bebidas e alimentos "aditivados" por substâncias tóxicas ou geneticamente modificadas, reduzindo ou cortando o consumo de carne. É indispensável que façamos nossa parte na diminuição de ações que ferem mais ainda a Natureza, poupando água, energia elétrica, andando mais a pé, usando transporte coletivo, gerando menos lixo e reciclando-o sempre que possível. É interessante ainda parar de ser teledependente, deixando mais tempo desligada a TV, evitando uma intoxicação aguda de emoções violentas ou de fatos medonhos ocorridos lá fora... é difícil, mas bem legal seria bater um bom papo, ler um bom livro, fazer um pouco de exercício, uma boa caminhada no bairro, em vez de ficar sentado(a) no sofá assistindo às novelas...
A Terra, nossa Mãe-Natureza e seus quatro elementos vitais, estão feridos. O ar, a água, o solo estão duramente contaminados. O reino vegetal, animal e mineral estão também sofrendo devastações constantes e por vezes irreversíveis. O ser humano, em sua grande maioria, vive em condições precárias, lutando pela sobrevivência, mesmo vivendo nos países mais ricos, ficando impedido de viver com dignidade sua passagem aqui no Planeta azul, mesmo que riquezas imensas, muito além de nossa capacidade de compreensão, trancadas em mãos egoístas e impiedosas, permitissem, e com folga, resolver quaisquer problemas que assolem nosso orbe. Reagindo a tamanho drama, a Natureza se manifesta cada vez mais e com absoluta clareza (para quem sabe ver e ouvir), deixando evidente a todos o quanto ela é poderosa e, ao mesmo tempo, paciente, tolerante com os desmandos de tantos seres aloprados e brutos que ignoram quase tudo sobre a verdade da vida, de tão obcecados que são pelo poder e o lucro a qualquer custo. É preciso que façamos nossa parte.Talvez o começo signifique aprender a cobrar fatos e ações decentes de "nossos" vereadores, prefeitos, deputados, senadores, ministros. O voto bem utilizado é outra ferramenta fundamental. Somos nós que continuamos a eleger pessoas que somente visam o enriquecimento pessoal. Precisamos deixar de comprar produtos e serviços supérfluos, ou danosos à saúde física, que nos criam dependência e embotam nossa consciência, eliminando de vez bebidas e alimentos "aditivados" por substâncias tóxicas ou geneticamente modificadas, reduzindo ou cortando o consumo de carne. É indispensável que façamos nossa parte na diminuição de ações que ferem mais ainda a Natureza, poupando água, energia elétrica, andando mais a pé, usando transporte coletivo, gerando menos lixo e reciclando-o sempre que possível. É interessante ainda parar de ser teledependente, deixando mais tempo desligada a TV, evitando uma intoxicação aguda de emoções violentas ou de fatos medonhos ocorridos lá fora... é difícil, mas bem legal seria bater um bom papo, ler um bom livro, fazer um pouco de exercício, uma boa caminhada no bairro, em vez de ficar sentado(a) no sofá assistindo às novelas...
mais ...

5 comments:

Justine said...

É preciso acordar, Greentea, só depois de tomar consciência do modo como somos manipulados poderemos alterar o nosso comportamento
(Obrigada pelo abraço, soube bem...)

Pitanga Doce said...

Li nesta menina que está acima de mim que vais pra serra este fim de semana, é isto? Dizem que vai haver neve por lá...e Sol. hehehehe


beijos pitangueiros

Há.dias.assim said...

E é urgente cuidar da mãe natureza para que ela olhe por nós.

每天 said...

靠山山倒,靠人人老,靠自己最好。..................................................

Espaço do João said...

Olá Greentea.
Há muito tempo que não passo por estas bandas. Admiro seus textos e, este deixa-me bastante preocupado, pois sou um amante da natureza e fins. Ainda há poucos dias foi colocdo uma questão em vários blogs que se chamava vamos limpar Portugal. Várias associações se juntaram para que no próximo dis 20 de Março nos concentremos para a dita tarefa. Seria bom, pois a Finlândia num só dia limpou o país de tudo até nas florestas. Infelizmente é tudo muito bonito, mas qual foi o meu espanto ver um indivíduo que também se comprometeu à digna tarefa, encontrá-lo a vazar entulho num pinhal. Fiquei pocesso e, para não ter que me envolver em desacato, virei costas e fui para casa. Confesso que chorei de indignação. Então estão á espera do meu eforço para limpar o que aqueles que teriam todo o dever de não sujar estarem a cometer tamanha proeza? Confesso que fui cobarde, pois o dito cujo devia ser denunciado ás autoridades, mas quando estas lá chegassem já o elemento em questão estaria bem longe. No entanto, vou fazer os possíveis para cumprir o prometido e, como conheço o "engraçado", melhor será ele ou eu não nos cruzar-mos. Um abraço. João