Saturday, January 25, 2014

desassossegos e outros amores ...em Sintra

Decidira participar naquela caminhada, naquele percurso serra acima  desvendando os desassossegos de Sintra, os amores que cada casa, cada fachada, cada palácio ou cada vereda evocam. O dia estava chuvoso e o nevoeiro cobria as copas das árvores centenárias que sabiam de cor todas essas lendas e os mistérios que as envolviam. Partiram da Quinta dos Lobos que outrora , muito outrora , pertencera a D. Manuel I e fora palco de muitos amores... Mais acima , o Penedo da Saudade evocado n'Os Maias por Eça que tantas e tantas vezes visitou Sintra , percorrendo estas veredas.
Mas ela apenas podia estar agradecida e comovida, não desassossegada. Sete meses tinham passado desde aquela tarde em que abrira o Relatório do Médico e em que constatara que agora não podia mais deixar arrastar ou deixar para trás a sua saúde. Fez mais exames, fez tratamentos , fez uma cirurgia de alto risco. fez tudo o que tinha para fazer. Saíra do Hospital há dois meses e a recuperação foi lenta e longa, ainda tinha dificuldades por vezes, limitações sem dúvida.
Mas depois da consulta de sexta-feira todas as dúvidas lhe foram tiradas quando o doutor afirmou peremptório que não havia mais tratamentos a fazer, mais drogas, comprimidos ou soros. Acabara-se!!
Que voltasse para casa feliz e descansada, fizesse caminhadas, ginástica, natação ou hidroginástica, exercício e  tudo o que lhe desse prazer. E com um grande sorriso cúmplice terminou :" Espero nunca mais ter de a ver à minha frente"! Reciprocidade e cumplicidade acima de tudo .
Novos caminhos se abriam à sua frente, em Sintra ou num qualquer outro lado...

6 comments:

as-nunes said...

Tenho andado muito disperso. Muito distraído, talvez algo confuso.
Ou antes, preocupado com a necessidade premente de me manter em atividade (profissionalmente/empresarialmente)já que a dita pensão de velhice está cada vez mais curta e a vida cada vez mais cara e difícil.

Tudo isto para tentar dizer que as ligações de tertúlia (algumas, de amizade mesmo) são muito importantes para mim. Só que o tempo tem-de pregado imensas partidas...

Pressinto que algo a minha amiga estará a tentar dizer-nos, de pessoal quiçá. ...

Espero que esteja tudo bem consigo.

Abraço
António

greentea said...

antonio
é também o que tento fazer, manter-me activa de qualquer forma depois de um diagnóstico grave que felizmente consegui ultrapassar com exito.
As pensões de reforma já não são o que eram e para sobrevivermos temos de continuar a trabalhar não direi como faziamos aos vinte anos ...mas pouco falta
Um abraço

Justine said...

Estou muito alegre e muito feliz por ti, Greentea! Tens a vida toda e o mundo inteiro à tua frente :-)
Um grande abraço

Lilá(s) said...

É como começar de novo, e garanto-te que desta vale mesmo a pena. Agora é um dia de cada vez intensamente.
Beijinhos

© Piedade Araújo Sol said...

em sintra ou noutro local, talvez.

por vezes, nem sabemos, nem nos damos conta das lutas de cada um.

ainda bem que tudo ficou sanado, e, é urgente viver, viver intensamente, da melhor maneira que nos faz feliz.

um beijo grande

:)

Fê blue bird said...

Minha amiga, fiquei muito feliz com o final feliz desta caminhada tão difícil.
A vida é uma bênção que deve ser comemorada todos os dias, em Sintra ou num qualquer outro lado...

beijinho comovido