Wednesday, September 21, 2011

Um dia com...

Levantou-se cedo como de costume. Regou as plantas , que o dia estava quente , tomou o pequeno almoço e saiu apressada antes das 9 horas.
No Naaas já havia muito movimento. Fêz festas a alguns meninos que andavam ali perto da entrada e depois começou a limpar o casarão, mudar as camas, pôr comida nas tijelas e água fresca nos baldes

Gostava daquela agitação, de falar com os cães, de os acariciar e de lhes dar a ternura que os donos que os abandonaram , nunca tiveram com eles. O Pepe também ali estava, sempre a pedir miminhos...




Depois, a manhã passou rápida entre as limpesas dos canis , o dar de comer , o passear com alguns deles





A Nikita








O Migo









O Pretinho




Todos uma doçura !
Na hora do almoço, saiu . Foi à retrosaria , pediu fios para fazer tapetes para as caminhas deles.
Comeu qualquer coisa em casa, começou um dos tapetes para ver o efeito e voltou


O Salvador estava a dormir na sua casota





Mas outros ainda não estavam tratados . Precisavam de passear, dos espaços limpos, ração , água fresca. Todos vão sendo soltos para correr pela quinta fora, todos são tratados pelo nome, todos são acarinhados...


Pelas quatro horas , os trabalhos estão concluidos. Deitam-se fora os lixos, preparam-se detergentes e desinfetantes para o dia seguinte, guardam-se pás e vassouras, deixando tudo em ordem para os voluntários que vêm ao fim da tarde.


Paula regressa a casa. Toma um banho , põe a lavar a roupa que trazia vestida cheia das marcas de todos estes meninos que gostam de retribuir as festas recebidas e senta-se um pouco a descansar da azáfama daquele dia gratificante.


À noite, o serão é passado a fazer o tapete com o trapilho comprado. A filha entusiasma-se e começa a fazer outro . E assim ficam , noite adentro sem dar conta que as horas passaram.


Que me venham dizer que estão com depressões, que ganharam peso nas férias, que andam neuróticas... Nada melhor que fazer exercicio, seja a lavar os canis, seja a varrer o chão, a passear os cães, a dar-lhes de comer ou simplesmente percorrer as instalações para visitar e acarinhar todos estes amiguinhos maravilhosos. E adormece-se com um sorriso no rosto para só acordar na manhã seguinte...









8 comments:

Lilá(s) said...

E agradecem com um olhar doce cada caricia! comovente o teu post...
Bjs

greentea said...

agradecem tudo, Lilás, mesmo a cadela ceguinha, o serra da estrela enoooorme chamado Tommy , que estava para abate e é um mansarrão que andei a passear à trela , hoje, ou o Brown que espetou um gancho na pata e chamava baixinho para o irmos ajudar

mfc said...

Percebo essa tua felicidade e esse teu sorriso lindo!
Continua assim!
Beijinhos.

Justine said...

As neurastenias curam-se com amor - dado por nós e retribuído por esses olhares cheios de doçura e ternura!
Belíssima reportagem de um dia de uma mulher VIVA e a amar a vida!
Abraço

greentea said...

mfc
sinto-me lindamente ao pé deles, muito melhor que ao pé de certas gentinhas ...

greentea said...

justine
chego a casa estourada porque o espaço a percorrer é enorme e os cães uns 200, agora
Ontem esteve lá a SIC a fazer uma reportagem, mas eu creio que a obrigação de bem tratar os animais devia fazer parte dos manuais escolares ... (porque os criminosos e assassinos começaram "casualmente" a matar cães e gatos!

© Piedade Araújo Sol said...

e continua.

os animais conseguem nos dar mais afecto que muitos humanos....

um beij

greentea said...

Piedade

n~ao tenhas a minima dúvida...
quantas vezes prefiro os cães a aturar certas pessoas que de humanos nada têm...